BLI: 1673 ataques com 707 milhões de registros furtados

 

O BLI (Breaches Level Index), feito pela GEMALTO, é um índice que representa, em nível global, as violações de dados e mede sua gravidade, oferecendo uma lista comparativa de violações, permitindo distinguir aquelas de real (e altíssima) gravidade.

 

Para esta análise, são considerados os seguintes fatores: número de registros comprometidos, tipo de dados (crédito, pessoal, senhas, etc.), fonte de violação (interna, externa, black-market, Governos, etc.), perdas de dados (maliciosas/intencionais ou não) e se eram dados criptografados ou não (seguros ou expostos).

 

Dia 23 deste mês a empresa soltou o relatório 2015, revelando que, apenas neste ano, nada menos de 1673 violações de sistemas expuseram 707 milhões de registros de dados (onde cada registro neste caso é um campo ou um documento/arquivo).

 

Se considerarmos apenas a média aritmética, temos 4 ataques todos os dias a empresas ou órgãos públicos, objetivando apenas o furto de informações! Parece pouco mas não é, considerando o ataque bem sucedido - mesmo com as proteções existentes, mesmo com uma cultura crescente de proteção e segurança da informação.

 

Importante ressaltar também que a América Latina, por não possuir legislação específica para informação de ataques digitais, não comparece no BLI - o que não siginifica estar mais segura que seus pares do hemisfério norte.

 

Aliás, os únicos a não aparecerem: África e América Latina. Mais seguros?

 

O relatório estava disponível para download, mas foi retirado, provavelmente devido à decisão da GEMALTO em apresentá-lo na RSA CONFERENCE 2016.

 

Mas, se você desejar dar uma olhada na página do BLI, siga este link.

 

E se você se interessa pelo maiores e mais expressivos ataques, sugiro também uma olhada nesta página, que mostra graficamente estas informações com algumas informações adicionais sobre perdas.

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Destaques
Please reload

Posts Recentes

December 12, 2016